Vet&Share

Informe Royal Canin Nutrição

Cuidados com a saúde dos felinos nas diferentes fases da vida

Subtítulo (opcional)

Os gatos frequentam menos o veterinário do que os cães para cuidados preventivos de saúde. Vários são os motivos para que isso aconteça e entre eles podemos apontar o fato de que os gatos demoram mais tempo para demonstrar sinais claros de doença, o que contribui para que muitos tutores só busquem atendimento em quadros mais avançados. Outro ponto que desestimula os tutores a manter uma rotina de checkups preventivos é o estresse. As más experiências anteriores nas idas ao veterinário tendem a desencorajar os tutores a manter uma rotina de visitas preventivas, o que compromete a manutenção da saúde dos gatos. Apesar disso, o médico-veterinário tem um papel importante nos cuidados de saúde que vai muito além do tratamento de doenças, agindo também como um educador a respeito da manutenção da saúde física e mental dos pacientes.

Estes gatos que não frequentam o consultório regularmente, recebem menos cuidados preventivos, controle de parasitas, vacinações e têm menos chances de detecção precoce de doenças. Gatos de todas as idades, mesmo que saudáveis, devem visitar o médico-veterinário para consultas e exames de rotina no mínimo uma vez ao ano, e pelo menos a cada seis meses para idosos. Os tutores devem ser orientados a estarem atentos sobre sinais sutis de mudança no comportamento, doença, dor e ansiedade para que antecipem a visita caso observem algum sinal, mesmo que sutil.

Todos os gatos devem passar por exame físico completo e minucioso, no entanto, em cada fase de vida há postos-chave que devem ser o foco do médico-veterinário durante o exame. Em filhotes até 12 meses de idade, além da definição do protocolo vacinal individualizado e do controle de parasitas, deve-se realizar testes diagnósticos para doenças infecciosas. A recomendação nutricional também é fundamental nesta fase, orientando o tutor sobre qual é o alimento indicado, a quantidade e frequência de alimentação. Esta também é uma ótima oportunidade para discutir sobre a castração, sobre aspectos comportamentais, número e disposição dos recursos na casa e a socialização com pessoas e outros animais.

Gatos adultos jovens, entre 1 e 7 anos de idade, devem ter o peso e escore de condição corporal monitorados e os tutores devem ser orientados sobre o risco de obesidade. A saúde oral e os hábitos de eliminação também devem ser avaliados e registrados para observação dos padrões no futuro.

Gatos maduros, entre 7 e 10 anos, e idosos acima de 10 anos, merecem atenção para mudanças na mobilidade, possíveis alterações cognitivas e mudanças nos hábitos de higiene e eliminação. Os hábitos de ingestão de alimento e água devem ser monitorados. Alguns pontos que merecem atenção especial nesta fase de vida são o exame oral, palpação abdominal, exame oftálmico, cardiorrespiratório e musculoesquelético. Gatos maduros e idosos devem passar por uma avaliação completa de dor. Orientar sobre a como os recursos devem ser dispostos na casa, garantindo o fácil acesso contribui para o bem-estar dos gatos em fase de envelhecimento.

Estas experiências devem ser positivas para o paciente e para o tutor em todas as oportunidades para garantir que os gatos recebam ótimos cuidados de saúde durante toda a vida. Todos os envolvidos, tanto o médico-veterinário quanto o tutor são responsáveis por cuidar da saúde dos gatos e contribuem com o seu bem-estar e longevidade.

PRISCILA RIZELO
Coordenadora de Comunicação Científica Royal Canin do Brasil

Referências bibliográficas

Quimby J, Gowland S, Carney HC, et al. 2021 AAHA/AAFP Feline Life Stage Guidelines. Journal of Feline Medicine and Surgery, Volume 23, Issue 3, p211– 233.