Vet&Share

Nutrição – Informe Quatree

Avaliação da massa muscular

POR ANA CHIZZOTTI
FIGURA 1: Escore de Massa Muscular (EMM). Fonte: WSAVA, 2011.

Como saber se o seu cão ou gato está com perda muscular? É preciso avaliar o Escore de Condição Corporal (ECC), quanto o Escore de Massa Muscular (EMM). O ECC é uma avaliação subjetiva da gordura corporal, com uma meta de 4 ou 5 em uma escala de 9 pontos. Avaliar o ECC pode ajudar a manter seu animal de estimação com o peso ideal. O EMM é diferente pois avalia especificamente a massa muscular que é determinada pela palpação dos músculos do animal em diferentes pontos: costas, cabeça, ombros e quadris. Os músculos das costas, de cada lado da coluna, são os primeiros locais afetados pela perda muscular, portanto, é o primeiro local a ser verificado, o EMM é classificado como normal ou leve, perda muscular moderada ou grave (Figura 1).

Muitas pessoas presumem erroneamente que o animal tem que perder peso ou ser muito magro para ter perda de massa muscular, mas isso não é verdade. Cães e gatos podem até estar acima do peso e ainda assim apresentar perdas musculares significativas. Por outro lado, os animais podem ser magros, mas têm massa muscular normal. É por isso que é importante avaliar o ECC e o EMM.

Detectar a perda muscular em seus estágios iniciais é importante porque os tratamentos têm mais probabilidade de ter sucesso quando detectada precocemente. No entanto, o tratamento para caquexia e sarcopenia não envolve apenas medicamentos. Os exercícios podem ajudar a manter os músculos, e a nutrição também desempenha um papel importante. A nutrição pode desempenhar um papel crítico no controle de doenças e manutenção dos músculos, mas é importante considerar cada animal como um indivíduo para determinar a dieta ideal.

Um fator importante na nutrição proteica dos cães é a composição dos aminoácidos na proteína da dieta, principalmente aqueles que são essenciais e limitantes. A maioria dos aminoácidos dietéticos é absorvida no intestino delgado. Assim, a proteína ingerida deve ser de alta qualidade e conter um nível mínimo de aminoácidos essenciais e dos demais aminoácidos de cadeia ramificada (leucina, isoleucina e valina), conhecidos como BCAA, do inglês, branched-chain amino acids, correspondem a cerca de 35% dos aminoácidos presentes nas proteínas musculares.

Perda de massa muscular em cães idosos
Uma das principais alterações da nutrição na senilidade em relação às outras é, sem dúvidas, a adição de mais proteínas de alta qualidade e digestibilidade. Cães idosos tendem a perder massa muscular e este nutriente auxilia na manutenção dos músculos.

Os cães em processo de envelhecimento devem consumir mais proteínas proporcionalmente para amenizar o efeito da sarcopenia, que é a perda de massa muscular que ocorre na fase senil, mantendo assim a relação massa magra vs. massa gorda a mais próxima do ideal.

Cerca de 25% da ingestão calórica deve ser originária de proteínas para permitir que os cães em processo de envelhecimento mantenham a renovação proteica (turnover) do organismo. A fonte proteica deve ser de qualidade e alta digestibilidade para permitir melhor aproveitamento dos nutrientes.